Visando oferecer um espaço seguro, de escuta e acolhedor aos acadêmicos da universidade, o curso de Psicologia, em parceria com o Núcleo de Apoio ao Estudante (Nae) da Católica de Pelotas criou o grupo terapêutico Vivências Acadêmicas. 

Semanalmente, os acadêmicos que fazem parte do grupo debatem temas como ansiedade, gestão de tempo, as dificuldades de ser universitário e de morar sozinho, entre outros assuntos que permeiam a vida dos alunos. A condução das conversas é realizada por acadêmicos do último ano do curso de Psicologia da universidade, sob supervisão da professora Brenda Louro. 

De acordo com a docente, a atividade surgiu da vontade dos alunos do curso de trabalharem com grupos. “Em nosso curso, há muitos alunos que têm esse desejo de atuar junto a grupos e o Nae já vinha pensando em um jeito de atender melhor os alunos. Assim, surgiu o grupo Vivências Acadêmicas”, explica.

Para o aluno do 10º semestre do curso de Psicologia e diretor do grupo, Pietro Peres Duarte, idealizar e participar de um projeto como esse é único e emocionante. “Sempre me questionei o motivo de não ter uma cultura grupal na cidade de Pelotas e também no âmbito acadêmico, então participar como diretor de um grupo, usando o Psicodrama, que é a minha abordagem escolhida na Psicologia, é algo muito especial”, afirma Pietro que conduz os encontros junto com a acadêmica Victoria Schneider de Souza. 

Dificuldades da vida acadêmica

Anelise Neves, psicóloga do Nae, explica que a chegada à universidade é sempre marcada por desafios e expectativas e um dos objetivos do núcleo com o grupo é auxiliar os alunos da UCPel no processo de adaptação e pertencimento à Católica. 

“O grupo terapêutico em parceria com o curso de Psicologia é um local para que os acadêmicos tenham um espaço constituído através de temas e interesses em comum”, aponta. 

Pietro afirma ainda que o grupo de Vivências Acadêmicas tem como ponto de partida a possibilidade de trazer para os estudantes uma qualidade de vida melhor, pois o grupo possibilita que os alunos possam lidar com as suas  problemáticas e compartilhar sentimentos, assim como soluções, durante as atividades do grupo. 

Os encontros ocorrem toda segunda-feira e devem seguir até o final deste semestre, de acordo com a professora Brenda. A ideia é que a atividade possa seguir e seja ampliada posteriormente para ir alcançando mais alunos da universidade. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail nae.estudante@ucpel.edu.br.  

Redação: Lizandra Vilela