Ainda em outubro a  pesquisa “Gravidez Cuidada, Bebê Saudável” desenvolvida pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde e Comportamento (PPGSC) da Universidade Católica de Pelotas entra em uma nova etapa. As mães e as crianças que estão sendo acompanhadas desde o início da iniciativa serão chamadas para participarem da sétima fase de avaliação.

A proposta é prosseguir a análise de aspectos biopsicossociais de mães e filhos, assim como foi realizado em etapas anteriores. O responsável pela pesquisa, professor e psiquiatra, Ricardo Pinheiro, explica que esse novo momento marca o retorno das atividades presenciais, já que duas etapas foram realizadas de forma remota devido à pandemia de Covid-19. “Iremos iniciar a busca ativa dos nascidos em 2017. Esperamos receber aqui na universidade cerca de mil mães e seus filhos – número de integrantes da pesquisa desde seu início, em 2016”, explica o professor, que também é o coordenador de Pesquisa e Pós-Graduação Stricto Sensu da UCPel.

As mães serão contatadas através do cadastro já existente. Em caso de mudança de número de telefone ou de endereço, as participantes podem entrar em contato pelo número 2128-8291. Haverá auxílio para o deslocamento até a instituição, assim como atestado de comparecimento. 

Treinamentos e contato

 O acompanhamento da coorte da pesquisa “Gravidez Cuidada, Bebê Saudável”, envolve pesquisadores do PPGSC, pós-doutorandos, mestrandos e alunos de graduação de iniciação científica dos cursos de Medicina, Odontologia, Psicologia ,  Enfermagem e Biomedicina. Todos estão participando de treinamentos para a realização de avaliações biopsicossociais do público-alvo da pesquisa.

A pesquisa e os resultados

Financiada pela Grand Challenges Brazil (Bill & Melinda gates Foundation), Ministério da Saúde, CNPQ via Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia e pela FAPERGS, a pesquisa já comprovou a eficácia da Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) na redução dos índices de depressão em gestantes e puérperas. 

Os primeiros resultados divulgados apontaram que quatro em cada cinco mulheres que apresentaram sintomas de depressão, participantes da pesquisa “Gravidez Cuidada, Bebê Saudável”, deixaram de ter os sintomas e tiveram os benefícios prolongados no pós-parto ao receberem a intervenção terapêutica.Os bebês de mães deprimidas na gestação , que receberam intervenção tiveram seu desenvolvimento cognitivo e motor preservado.

 

Redação: Alessandra Senna